:Blog DW Brazil:
Arquivo de fevereiro de 2012

Brisbane entre as 50 melhores cidades para estudar

Postado por em 27/fev/2012 - Sem Comentários

Uma pesquisa administrada pelo site “Top Universities” mostrou que Brisbane, Austrália, tem uma grande concentração de estudantes universitários, a razão é simples. O país tem 3 grandes universidades que estão entre as 500 melhores no mundo.

Brisbane é a terceira maior cidade da Austrália e é a maior economia entre Sidney e Singapura e alguns especialistas acreditam que isso acontece pela sua proximidade com Gold Coast, onde se localizam as praias mais famosas da Austrália.

A cidade oferece um mix de atrações para os estudantes, desde atividades ao ar livre até uma vida noturna agitada. Além disso, o clima ensolarado, as praias e as atividades esportivas oferecem um ambiente amigável para se viver.

Além de Brisbane, as cidades de Sydney, Melbourne, Adelaide e Perth fazem parte das 50 melhores cidades para se estudar no mundo, fazendo com que a Austrália tenha maior representação do que qualquer outro país.

A DW Brazil oferece cursos de idiomas, profissionalizantes, high School, graduação, pós graduação e MBA nesse maravilhoso país. Entre em contato para maiores informações através do site: www.dwbrazil.com.br , por telefone: (11) 5687-0607 ou pelo email: info@dwbrazil.com.br.

Comunicado – Infraero

Postado por admin em 22/fev/2012 - Sem Comentários

Amigos,

Recebemos um comunicado da Infraero sobre Internet gratuita e ilimitada nos aeroportos das cidades-sedes da Copa do Mundo. Vale à pena conferir se você está indo viajar.

Fonte: http://www.infraero.gov.br/index.php/br/imprensa/noticias/4747-172-aeroportos-da-infraero-terao-internet-gratuita-e-ilimitada.html – em 22/02/2012

O Brasil descobre as universidades americanas

Postado por em 15/fev/2012 - Sem Comentários

Em matéria divulgada pela revista Veja (edição 2256) sobre cursar universidade no exterior, em escolas que oferecem o diploma de high school da Texas Tech University, pudemos notar o grau de comprometimento dos pais com relação à educação dos seus filhos. Foi-se o tempo que matricular o filho numa instituição renomada no Brasil era sinônimo do máximo que se poderia oferecer em nível de formação educacional e pessoal.
Uma “nova geração” de pais e de profissionais já se conscientizaram que, hoje, a instrução não pode ficar restrita geograficamente à “terra natal” do indivíduo. Há uma demanda muito evidente por pessoas cada vez mais preparados para enfrentar e desbravar um mundo completamente globalizado onde a palavra chave para qualquer profissional é: qualificação.
Cursar uma universidade no exterior, além de ser uma experiência de vida única que amadurece qualquer Ser Humano e possibilita ao indivíduo conhecer a si mesmo e, principalmente, aprender a lidar com as diferenças, despertar a adaptabilidade e a flexibilidade que nenhuma teoria pode ensinar. Ao abdicar da “zona de conforto” do seu país, o aluno percebe que seus valores eram limitados ao seu meio social e passa, então, a ser mais receptivo aos novos conceitos e descobertas que esta vivência proporciona. Como consequência, vem o despertar do senso de responsabilidade e do comprometimento em tudo o que fizer, o que é extremamente reconhecido por empresas aqui no Brasil e no mundo.